Crianças e adolescentes são nascidos com o acesso à internet, por meio do uso de tablets e smartphones. São os chamados “nativos digitais” para os quais a internet não é algo acessório à sua vida e sociabilidade, mas algo totalmente central a ela (PRENSKY, 2001). Falar com amigos pelo whatsapp ou no grupo da escola presencialmente faz pouca diferença.

Segundo a pesquisa TIC Kids 2015,  mais da metade das crianças e adolescentes pesquisados começou a acessar a internet até os 10 anos de idade. Além disso, 84% dessas crianças e adolescentes utilizam a internet pelo menos uma vez por dia, sendo que 68% desses, declaram utilizar a internet mais de uma vez por dia. Quase 90% têm perfis em redes sociais. Dentre as atividades preferidas, 80% marcaram fazer uso de redes sociais, pesquisas para trabalhos escolares e envio de mensagens instantâneas.

Embora seja uma ferramenta com um grandioso potencial, é importante usá-la com segurança, evitando colocar-se em risco ou vulnerável.

07 dicas para o uso seguro da internet por crianças e adolescentes

  1. Não se deve fornecer quaisquer dados pessoais ou fotografias a desconhecidos.
  2. Há riscos e consequências de encontrar alguém que se conheceu on-line. É importante que se entenda que a pessoa com quem se está  conversando on-line pode não ser a pessoa que diz ser (ou seja, a pessoa poderia ser um adulto que finge ser uma criança/adolescente de sua idade) e nunca se deve concordar em se encontrar pessoalmente sem comunicar os pais, responsáveis ou adultos de confiança.
  3. Há fotos e comentários que são inadequados na Internet e redes sociais. Identifique-os e denuncie.
  4. Evite fazer “check-in” em redes sociais e compartilhar informações on-line sobre sua rotina diária com os outros; não conte que está sozinho em casa.
  5. Evite compartilhar muita informação pessoal on-line, especialmente sobre como se sente (triste, solitário, com raiva de seus pais), pois há pessoas que podem tentar tirar proveito de suas vulnerabilidades.
  6. Não responda a mensagens instantâneas, correio eletrônico, chamadas de vídeo ou encontrar-se pessoalmente com desconhecidos.
  7. Não aceite pessoas desconhecidas em suas redes sociais e bloqueie aqueles que o(a) deixe desconfortável.

Pais, responsáveis ou adultos de confiança

  1. Pais e responsáveis devem usar as redes sociais e aplicativos utilizadas por crianças e adolescentes para saber como funcionam e monitorar salas de chat.
  2. Se for notificado, como adulto de confiança, que há uma criança ou adolescente vítima de uma pessoa na internet, nunca responsabilize a criança ou o(a) adolescente. Tome uma posição firme e denuncie.